“Temos que pensar grande”
Em entrevista exclusiva, o empresário Marcelo Leal mostra como pretende imprimir a marca do empreendedorismo e da inovação na condução da RS Óleo, Gás & Energia
Data da notícia: 07/02/2017 às 17:16

Novo presidente da RS Óleo, Gás & Energia, o empresário Marcelo Leal traz uma trajetória marcada pelo empreendedorismo. Como fundador do Laboratório Quimioambiental, especializado em análises químicas e microbiológicas, ele se acostumou a fazer de tudo um pouco. No início, fazia as análises ao próprio punho e cuidava pessoalmente da contabilidade, das vendas e de outros processos básicos. Com o tempo, no entanto, estruturou uma equipe e fez a empresa ganhar em agilidade e eficiência – até ser reconhecida com algumas das mais importantes certificações e prêmios do Brasil no setor de qualidade.

Mesmo assim, Leal mantém a disposição de fazer acontecer. Na sede do Laboratório Quimioambiental, junto à Rua Barão do Amazonas, em Porto Alegre, ele faz questão de acompanhar cada processo com olho clínico. E ainda ataca como homem de marketing – produzindo e gerenciando a divulgação de sua empresa nas redes sociais. É com esse espírito, aliás, que Leal chega à presidência da RS Óleo, Gás & Energia para o biênio 2017/2018. “A força da Associação está no pequeno e médio empresário, aquele cara que bate escanteio e faz o gol”, explica ele.

Nesta entrevista exclusiva para o portal da RS Óleo, Gás & Energia, Leal fala sobre o objetivo de dobrar o número de associados da entidade, além de aprimorar os eventos e recursos que ajudam a fomentar negócios entre as pequenas e médias empresas das cadeias de óleo, gás e energia do Rio Grande do Sul. Confira:


Sua gestão começa com a meta de dobrar o número de associados da RS Óleo, Gás & Energia. De onde vem essa determinação?
Vem de uma necessidade clara: a de fortalecer a RS Óleo, Gás & Energia e permitir que mais empresas possam usufruir dos benefícios oferecidos por ela. A Associação precisa de renda para cumprir seu papel, e isso passa pelo desafio de trazer mais associados dispostos a contribuir. Atualmente, a Associação tem uma belíssima representatividade social no meio empresarial, e as empresas participantes certamente têm muito a ganhar com esse compartilhamento de ideias, workshops e demais atividades.

É uma meta ousada, não?
Acho que as metas têm de ser ousadas, mesmo. É aquela história: pensar grande e pensar pequeno dá o mesmo trabalho. Então, vamos pensar grande, certo? Vamos colocar essa meta em pauta e fazer o possível para executá-la. Na base, eu acredito que não é necessário mudar a maneira como a Associação atua – ao contrário, o nosso modus operandi vai continuar, basicamente, o mesmo. As mudanças serão na abordagem. Dentro dos Workshops de Oportunidades, por exemplo, vamos manter essa concepção das palestras e da troca de conhecimentos, mas talvez possamos modificar um pouquinho a escolha dos temas.

Por exemplo?
Eu penso em investir em abordagens que atendam a vontade e a necessidade dos associados. Isso já vem sendo feito – de fato, nossos Workshops têm sido ótimos. Entretanto, pretendo deixar a minha marca. O presidente Vivian [Luiz Carlos Vivian Corrêa, da gestão 2015/2016], por exemplo, trouxe palestras sobre Compliance, sobre Internet das Coisas e outros temas estratégicos. Também atraiu nomes representativos como o do Germano Rigotto [ex-governador do Rio Grande do Sul] e Fábio Branco [atual secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado]. São contribuições muito representativas. O empresário sai de lá satisfeito com o que recebe. Pretendo trabalhar nesse caminho, aprofundá-lo e diversificar um pouco mais.

 

"A força da Associação está no pequeno e médio empresário, aquele cara que bate escanteio e faz o gol, que faz o serviço e entrega a nota fiscal, que faz os posts da própria empresa nas redes sociais."

 

Você vê espaço para expandir a abrangência da RS Óleo, Gás & Energia no Estado?
A RS Óleo, Gás & Energia foi formada, digamos assim, nas categorias de base do SEBRAE/RS, atendendo empresas de pequeno e médio porte. Acredito que temos potencial para expandir a Associação sem alterar esse perfil original. A força da Associação está no pequeno e médio empresário, aquele cara que bate escanteio e faz o gol, que faz o serviço e entrega a nota fiscal, que faz os posts da própria empresa nas redes sociais. Muitos já passaram por isso e outros ainda permanecem, tanto por necessidade quanto por opção. É nesse ponto que vejo uma oportunidade de expansão, pois podemos atrair pelas capacitações, palestras e parcerias.

Você se imaginava como presidente da RS Óleo, Gás & Energia?
Participar dos eventos da Associação sempre foi extremamente motivador pra mim. Desde que me associei, em 2014, eu encontrei aqui amigos que tinha feito no SEBRAE/RS, com os quais eu pude trocar ideias, dividir alegrias e dores. Isso mudou muito a minha postura como empresário. Procurei participar, ir a todos os Workshops, que foram excelentes. No ano seguinte, houve um momento em que cheguei a mentalizar como seria se eu me tornasse presidente da RS Óleo, Gás & Energia. Mas não comentei isso com ninguém – foi um sonho escondido. Até que, em 2016,  recebi o convite para compor uma chapa com o Salmo Chaves de vice. Foi quando pensei: aí está uma oportunidade que eu queria. Aceitei a missão tendo a certeza de que tenho muito a contribuir e aprender.

Como foi a experiência de empreender, para você?
Assim como eu, vários empresários do Brasil são aventureiros. Eu, por exemplo, sou formado em Química. Só que, dentro do curso de Química, eu não tive nenhuma cadeira sobre Administração de Empresas. Isso é um erro. Todo mundo deveria ter. Assim como muitos colegas, eu tive que aprender as coisas na marra, sujeito a cometer muitos erros. E eu os cometi. Com os erros, porém, comecei a ter uma outra visão do negócio: ampliei o escopo, visitei clientes, implantei métodos e fiz as amostragens. Hoje, percebo a importância de ter passado por tudo isso. Foi fundamental para ver o mercado com outros olhos e investir com mais segurança e convicção. Um líder tem de conhecer todos os parafusos da empresa.

 

"Um líder tem de conhecer todos os parafusos da empresa."

 

De lá para cá, o Laboratório Quimioambiental conquistou uma série de reconhecimentos, incluindo-se aí o Prêmio MPE Brasil. Como foi essa evolução?
A consolidação se deu a partir de 2000, quando eu decidi que precisava investir e me dedicar mais. Saí do DMAE, pedi demissão de uma escola onde eu estava lecionando e fiz um pequeno projeto de expansão que depois ficou muito interessante, envolvendo contratações estratégicas. Em 2010, obtivemos a ISO 17025, que é específica para laboratórios e abrange também a ISO 9002. Nessa época, eu já havia utilizado as consultorias do SEBRAE/RS para me ajudar nas áreas Contábil e Comercial; e foi em 2012 que os mesmos consultores lembraram do Laboratório Quimioambiental durante o projeto de Adensamento da Cadeia Produtiva da Petrobras. Aceitei o convite e entrei para o adensamento – uma experiência que não parou mais. Participamos até hoje dos projetos do SEBRAE/RS. Neste excelente convívio, vendo melhor as questões e a importância das premiações, me atirei em busca do prêmio MPE Brasil, que acabamos conquistando em 2015, na etapa do Rio Grande do Sul.

E quais são as perspectivas do Laboratório Quimioambiental para o futuro?
Hoje, o Laboratório Quimioambiental é uma empresa de pequeno porte, bem estruturada e com foco definido. Dentro da nossa capacidade técnica, conseguimos criar um público fiel a partir de uma cultura de serviços de qualidade, de tratar bem o cliente e de estar sempre próximo dele. Mas também sofremos muito com a entrada de multinacionais nesse segmento. Nosso objetivo, para 2017, é acreditar o Laboratório no Inmetro. Um dos critérios mais importantes nós já atendemos – que é a obtenção da NBR ISO IEC 17025 através da Rede Metrológica-RS. Agora, vamos lidar com a parte burocrática, protocolar e acordar todos os prazos, que são bem complicados. A equipe está preparada e consciente; entendemos que, sem os desafios, o percurso não tem a mesma graça. Não há tempo a perder.

Que mensagem você deixa para os demais integrantes e parceiros da RS Óleo, Gás & Energia?
Vamos conduzir a gestão da entidade com espírito muito colaborativo. Também acredito que posso trazer ideias que realmente ajudem todos os meus colegas. Quando terminar minha gestão, tenho a expectativa de que o próximo presidente venha com o mesmo espírito, para colocar a Associação ainda mais para frente. Nessas horas, sempre lembro de um provérbio africano que diz: “Se quiser ir rápido, vá sozinho; se quiser ir longe, vá em grupo.”

 

Por Andreas Müller | República - Agência de Conteúdo

Comentários
Fernanda Leal Manfro

Parabéns Marcelo!! Estamos todos torcendo para que as tuas metas e sonhos se realizem!! Bj

Em: 07/02/2017 - 22:39:29

Deixe seu comentário:


Veja mais...
Reunião de associados e Workshop de oportunidades
Estande coletivo une associados e oportunidades...
Rodada de Negócios Mercopar
Imersão ao Tecnopuc Porto Alegre
Reunião de negócios no polo petroquímico de Tri...
Diretoria participa de importante decisões de d...
Área Restrita
Associados
EPS Consultoria - Estratégias - Processos - Sistemas
Laboratório Quimioambiental
Pirâmide Engenharia
Anúncios
Nos Encontre
TECNOPUC – Viamão/RS
Av. Senador Salgado Filho, 7000
Prédio 87 – Bloco A – Sala 107
Jardim Krahe - CEP 94440-000
Viamão/RS – Brasil

Telefone: +55 51 3493 3726
Skype: rsoleoegas1
Twitter: @RSoleoegas
Facebook: rsoleoegas
Site: www.rsoleoegas.com.br

RS Óleo & Gás
A RS ÓLEO & GÁS é uma Associação fundada com 42 empresas do setor industrial metal, mecânico e energético do Rio Grande do Sul. Criada no ano de 2006, foi motivada pelo Projeto Cadeia Produtiva do Petróleo e Gás (CPP&G RS) desenvolvido pelo SEBRAE-RS em parceria com a REFAP / Petrobras.

Gerando Oportunidades de Negócios aos seus Associados



Cadastre seu e-mail para receber as novidades da RS Óleo & Gás!